Comportamento

Como identificar familiares tóxicos?

Você não precisa conviver com familiares tóxicos só porque compartilham do mesmo sobrenome e genética.

Vamos começar deixando uma coisa bem clara: não é porque é “da família” que alguém não possa prejudicá-lo. O termo “família” é, antes de mais nada, uma construção social.

A questão do apego afetivo e dos laços sanguíneos, bem como os hábitos tradicionais de uma família não podem ser usados como justificativas quando há situações tóxicas dentro do próprio sistema familiar.

É preciso saber a hora de sair e criar a famosa distância saudável, mantendo-se equilibrado.

Você não precisa conviver com familiares tóxicos só porque compartilham do mesmo sobrenome e genética.

Abrir mão dessas convenções sociais é o primeiro passo para se libertar e se sentir mais leve em relação a alguns familiares.

Acompanhe 5 sinais para ajudá-lo a enxergar se um membro da família está lhe fazendo mal:

Como identificar familiares tóxicos?

1. Sem reciprocidade

Uma relação saudável é boa para ambos os lados. Você dá afeto e recebe afeto: é uma troca. Quando não há reciprocidade, quando somente você oferece carinho, colo, atenção, alguma coisa não está legal.

Quando as iniciativas partem todas de você e não há retorno, pode ser que a relação só se desenvolva realmente por questão de puro interesse e egoísmo.

2. Drama e vitimismo

Nada está realmente bom. Tudo que você faz é motivo para uma encenação, para um drama sem motivo concreto.

O vitimismo excessivo é caracterizado por mania de controle: tornando-se vítima, agindo como se tudo e todos estivessem contra ela, a pessoa dramática atrai os olhares para si e mantém os demais “reféns” de suas lamúrias.

3. Cansaço extremo

Se após algumas horas de convivência ao redor da pessoa você se sentir estranhamente cansado, preste atenção: o mais certo é que você tenha sido contaminado com as frequências vibracionais negativas do outro. Uma pessoa tóxica vai despejar as questões dela sobre você, às vezes, até inconscientemente, mas cabe a você impor limites e perceber quando o cansaço e o desânimo tomaram conta.

4. Nas horas boas sim, mas nas ruins…

Um clássico. Na hora boa todo mundo está junto, todo mundo se desculpa, todo mundo aparentemente se respeita. A abundância nas festividades, por exemplo, mascara os momentos de tensão.

Familiares tóxicos chegam até você quando tudo vai bem, mas conte nos dedos: quantos realmente te estenderam a mão quando você estava na pior?

5. Excesso de culpa

Familiares tóxicos farão com que você sinta culpa. Quase o tempo todo. Culpa por ter preferido almoçar sozinho, culpa por não ter ligado para fulano, culpa por não ter dado uma passadinha na casa daquele parente e por aí vai.

Amor não combina com obrigação. Mas a culpa gerada pelo excesso de zelo e, novamente, mania de controle se sobrepõem e você acaba realizando algo que não queria muito para satisfazer o desejo do outro.

Fique atento se identificou um dos sinais acima. Procure tomar consciência da situação. Há muitos outros indícios de que você pode ter na sua família uma pessoa tóxica, mas estes são os que costumamos notar primeiro.

Pessoas tóxicas têm alto poder de persuasão e o conseguem através do medo, do ego e da chantagem emocional.

Às vezes, fica difícil separar os sentimentos confusos que surgem, principalmente se estes estão relacionados a nossos pais, considerados figuras sagradas no cerco familiar.

Não importa qual o papel que esta pessoa desempenhe na sua família: se notar um desconforto, confie na sua intuição e afaste-se gradualmente.

Esse afastamento não é o mesmo que dar um sumiço, até porque na maioria das vezes não temos como fazer isso. Busque então a autopreservação.

Mas como? Simples: não entre no drama alheio. Ouça com atenção, mas não pegue para você. Não se deixe envolver. Diminua os encontros.

Deixe a pessoa falar, mas não absorva. Vale a pena lembrar: nós sempre temos escolha. Escolha não se machucar.

Saiba que que sua família pode ser quem você quiser. Há amigos mais unidos do que irmãos. Há mães que competem com as filhas, há pais que não ligam de verdade para os filhos, há de tudo um pouco.

A vida familiar não cabe numa caixa, não cabe em padrões. Ilusão é achar que pai e mãe detêm amor incondicional e são donos absolutos da verdade e exemplos de santidade, que não são apenas seres humanos, com todas as limitações, sombras e dificuldades que isso implica. Saia da ilusão, pelo seu próprio bem. Desapegue-se.

E se a dor for demais, nunca é tarde para construir sua própria família: aquela formada por pessoas do bem, que o querem bem, que vibram com as suas conquistas, que torcem por você e o seguram nos momentos de pouca fé.

Mantenha-se ao lado dessas pessoas queridas que você mesmo escolheu, e descobrirá que amar e ser amado não precisa ser algo tão difícil.

COMENTÁRIOS:
LER MATERIA COMPLETA...

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Share via
Send this to a friend